"Estamos aqui pela Humanidade!" Comuna de Paris, 1871 - "Sejamos realistas, exijamos o impossível." Maio de 68

R. Hermilo Alves, 290, Santa Tereza, CEP: 31010-070 - Belo Horizonte/MG (Ônibus: 9103, 9210 - Metrô: Estação Sta. Efigênia). Contato: institutohelenagreco@gmail.com

Reuniões abertas aos sábados, às 16H - militância desde 2003.

domingo, 31 de dezembro de 2017

NOTÍCIA SOBRE A 8ª VELADA LIBERTÁRIA - IHG

Imagem: 8ª Velada Libertária - Instituto Helena Greco / Gig punk contra a criminalização dos protestos e dos movimentos sociais! 
Banda do Lixo, Consciência Suburbana, Drástico, Razão Social e Insolentes (30/12/2017). 
8ª Velada Libertária - Instituto Helena Greco
Gig punk contra a criminalização dos protestos e dos movimentos sociais!
        Realizada apresentação de cinco bandas punk no sábado, dia 30/12/2017, com entrada livre e gratuita. Aconteceu no Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania que é uma entidade apartidária - espaço público comunitário e movimento social classista e popular.
        A Velada Libertária - IHG é feita todo ano no mês de dezembro desde 2009. O objetivo da Velada libertária é unir pessoas das lutas sociais, dos direitos humanos, da contracultura e do som underground de forma incondicional.
Bandas desta edição:
Insolentes (1987 - BH/MG)
Razão Social (1991- BH/MG)
Drástico (2015 - BH/MG)
Consciência Suburbana (1995 - BH/MG)
        Houve participação especial - grata surpresa para todxs nós – da Banda do Lixo da década de 1970 de Belo Horizonte.
        Agradecemos fortemente a parceria e o apoio mútuo das bandas e de seus integrantes. Agradecemos ao Michel pela cooperação técnica/som e a todos que nos ajudaram com equipamentos.
        Agradecemos a presença e o apoio de todas e todos! O espaço está à disposição.
Saudações classistas e libertárias!
Notícia/Fotos/Arquivo: 
Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania
14 anos luta contra o terrorismo de Estado e do capital!
_____________________________________________________________________
Banda do Lixo

Consciência Suburbana

Drástico

Razão Social

Insolentes
_____________________________________________________________________



domingo, 24 de dezembro de 2017

COMPANHEIRA REMÍS CARLA: PRESENTE!


REMÍS CARLA: PRESENTE NA LUTA!
        O corpo da estudante de Pedagogia da UFPE, Remís Carla Costa, de 24 anos, foi encontrado no dia 23/12/2017, em Recife/PE. Foi assassinada pelo ex-namorado, Paulo César de Oliveira, também de 24 anos, que assumiu o feminicídio.
        Remís Carla estava desaparecida desde 17/12. O ex-namorado, ainda após o assassinato, havia postado em redes sociais sobre o desaparecimento da ex-companheira. Remís era vítima de um relacionamento agressivo e já havia realizado denúncias e solicitado medida protetiva.
        Remís Carla era militante do Movimento Feminino Popular (MFP). Foi mais uma entre milhares de mulheres que, no Brasil, são vítimas da sociedade patriarcal, do machismo, dos abusos, da violência e de assassinato.
        Viemos a público expressar nosso apoio aos familiares, amigos(as) e companheiras de luta.
Pelo fim do feminicídio e da violência contra as mulheres!
Companheira Remís: presente!
Belo Horizonte, 24 de dezembro de 2017
Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

POLÍCIA NO CAMPUS NUNCA MAIS!

Imagem: montagem a partir de fotos divulgadas nas redes sociais.Fotos/Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10156917342146632&set=pb.613756631.-2207520000.1512764594.&type=3&theater
NOTA DE REPÚDIO À POLÍCIA FEDERAL E À JUÍZA RAQUEL VASCONCELOS ALVES LIMA – POLÍCIA NO CAMPUS NUNCA MAIS!

        O Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania vem a público manifestar o mais veemente repúdio à operação montada pela Polícia Federal contra professores(as) e funcionários(as) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Estes(as) foram conduzidos(as) coercitivamente, com o estardalhaço peculiar àquela corporação, no dia 06/12/2017. Cerca de cem policiais e agentes encapuzados fortemente armados foram mobilizados para invadir o campus da UFMG e conduzir coercitivamente funcionários(as) públicos(as) que têm residência fixa – não havia necessidade de caçá-los, ainda mais com um aparato dessas proporções. A truculência da Polícia Federal é sobejamente conhecida: ela tem no prontuário o fato de ter sido um dos órgãos mais violentos da chamada comunidade de informações da ditadura militar (1964-1985).

        Tal operação absurda se concretizou com a cumplicidade da juíza Raquel Vasconcelos Alves Lima, da 9ª Vara Criminal Federal, a qual descumpriu recomendação do Ministério Público Federal. Este, por sua vez, se mantém omisso em relação a tamanha arbitrariedade. A juíza é a mesma que, em 2013, concedeu alvará de soltura ao nazista skinhead white power Antônio Donato Baudson Peret, o Donato di Mauro, o qual se vangloriou nas redes sociais de ter espancado e enforcado com uma corrente uma pessoa negra em situação de rua, em Belo Horizonte. Além de Donato, a juíza concedeu alvarás de soltura para Marcus Vinícius Garcia Cunha e para João Matheus Vetter de Moura, todos pertencentes a um grupo organizado de neonazistas.

        A violação da autonomia universitária e a execução de uma medida de exceção absolutamente descabida e desproporcional como a condução coercitiva têm sido naturalizadas neste pessimamente chamado Estado democrático de direito que é, na verdade, um Estado penal - um Estado de exceção permanente.

Abaixo a repressão! Pelo fim de todo aparato repressivo!

Abaixo a justiça burguesa e golpista!

Pela autonomia universitária!

Em defesa dxs trabalhadorxs e da educação pública e gratuita!

Belo Horizonte, 8 de dezembro de 2017
Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

8ª VELADA LIBERTÁRIA - IHG


8ª VELADA LIBERTÁRIA - INSTITUTO HELENA GRECO
Gig Punk contra a criminalização dos protestos e dos movimentos sociais!

*DATA: 
Sábado, dia 30 de dezembro de 2017, às 15h00min.
(Chegue no horário: de 15:00 às 21h00).

*LOCAL/REALIZAÇÃO: 
Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania
Rua Hermilo Alves, nº 290, Bairro Santa Tereza – Belo Horizonte/MG.

*PARCERIA & APRESENTAÇÃO DAS BANDAS:
- Insolentes
- Razão Social
- Consciência Suburbana 
- Drástico 
*CERVEJA + SALGADOS VEGANOS
(a arrecadação será convertida para gastos com aluguel de equipamentos, manutenção do espaço e outros/sem fins lucrativos).

*ENTRADA LIVRE & GRATUITA.
Nazi/fascistas, racistas, machistas e lgbtfóbicos: NÃO PASSARÃO!

Evento em rede social:
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
_________________________________________________________________________

VELADA LIBERTÁRIA – INSTITUTO HELENA GRECO: 

        Atividade apartidária, contra-hegemônica e anticapitalista em repúdio à indústria cultural e à indústria do divertimento/entretenimento. É realizada anualmente de forma autogestionária, autônoma, livre e independente com relação aos governos, ao Estado, aos editais, aos patrões, comércios e empresas. Acontece desde 2009.

- Todo nosso repúdio à retirada de direitos dxs Trabalhadorxs!

- Abaixo a “reforma” retrógrada da previdência social!

- Pelo fim do feminicídio e da violência contra as mulheres! Abaixo o machismo! Pelo direito ao aborto gratuito e seguro! Não à PEC 181.

- Abaixo a lgbtfobia, o extermínio e a violência contra a comunidade LGBT!

- Pelo fim do genocídio do Povo Negro! Pelo fim do genocídio dos Povos Indígenas! Pela erradicação do racismo!

- Pelo fim do extermínio das pessoas em situação de rua e dxs moradorxs de periferias, favelas e ocupações!

- Pelo fim das chacinas no campo cometidas pelo latifúndio e o agronegócio. 

- Censura nunca mais! Ditadura militar nunca mais! Pelo direito à História, à Memória, à Verdade e à Justiça! 

Nazi Trumps Fuck Off e Neoliberalism Temer Fuck Off! 

- Façamos nós mesmos sem governos, Estado e patrões!

Belo Horizonte, dezembro de 2017
Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania
14 anos de luta contra o terrorismo de Estado e do capital!

sábado, 2 de dezembro de 2017

CONFRATERNIZAÇÃO DO 15º MUMIA


ABERTURA E CONFRATERNIZAÇÃO DO 15º MUMIA
        No dia 1º de dezembro de 2017, houve a abertura da MUMIA (Mostra Udigrudi Mundial de Animação) em Belo Horizonte.  A 15ª mostra acontece de 1 a 22 de dezembro. Após as exibições neste primeiro dia da mostra houve confraternização no Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania que cedeu o espaço para a equipe e organizadorxs da MUMIA.
        A festa – que aconteceu também no Instituto Helena Greco no ano passado - contou com a presença de trabalhadorxs udigrudi de cinema de animação de vários estados, professorxs e estudantes. Foi um momento importante para um bate papo. “A Mostra Udigrudi Mundial de Animação tem por finalidade divulgar a produção audiovisual de animação de caráter cultural e visa contribuir para o desenvolvimento videográfico quanto à sua linguagem, formato específico e forma de produção. Proporcionar ao público mineiro acesso a uma parcela significativa da produção nacional e internacional que, por não pertencer a grandes produtoras, acabam ficando à margem do circuito comercial”.
        Agradecemos a proposta dxs organizadorxs da mostra de aproveitarem e ocuparem o espaço do Instituto Helena Greco – estamos sempre abertos para propostas e intervenções. Todxs são muito bem vindxs, contem com nosso apoio.
Belo Horizonte, 02 de dezembro de 2017

Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania
Programação 15º MUMIA:





segunda-feira, 27 de novembro de 2017

ENCONTRO ANUAL DE ESTUDOS DE DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA 2017


ENCONTRO ANUAL DE ESTUDOS DE DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA 
5ª edição (2017)

Sábado, dia 16 de dezembro de 2017, às 16h00min.
Local: Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania
- Rua Hermilo Alves, nº 290, Bairro Santa Tereza - Belo Horizonte/MG.

*LEITURA DO TEXTO PARA DEBATE:
TELLES, Vera da Silva. Direitos Sociais: afinal do que se trata?. São Paulo, Revista USP 37, março/maio 1998, p. 34-45.

*TEXTO PARA BAIXAR E IMPRIMIR:                                                                        http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/27023/28797

*Solicitamos a todas e todos que venham com o texto lido em mãos! 

*Serão emitidos certificados para participantes.

        O horário do encontro é de 16:00 às 18:00 horas. Chegue no horário - aguardaremos a chegada dos participantes até às 16h15. O encontro poderá se estender após as 18h00.

Dezembro: mês dos Direitos Humanos!

- Informações/Contatos:





(31) 2535 – 4667

Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania: 
14 anos de luta contra o terrorismo de Estado e do capital! 

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

LANÇAMENTO DO LIVRO "A PEQUENA PRISÃO" EM BELO HORIZONTE (dias 28 e 29 de novembro/2017)

Lançamento do livro
“A PEQUENA PRISÃO”
    “A pequena prisão é talvez o mais importante livro brasileiro de criminologia dos últimos tempos”.*
      *Vera Malaguti - doutora em Saúde Coletiva pela UFRJ, mestre em História Social pela UFF, professora de criminologia da UCM e secretária-geral do ICC.
       Igor Mendes, encarcerado por quase sete meses devido à repressão do corrupto governo Sergio Cabral contra a juventude e os ativistas das massivas e combativas manifestações de 2013 e 2014, narra as lutas como preso político e denuncia o arbítrio e as violações de direitos elementares praticados no interior do Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona norte do Rio. Já em seu primeiro bilhete de dentro do presídio, repassado aos advogados, Igor escrevera: “Sairei daqui mais convencido de que o Brasil precisa de uma grande revolução!”.
Locais de Lançamento em BH:
Faculdade de Direito - UFMG
(Auditório Luiz da Silva Campos)
Av. João Pinheiro, 100 - Centro - BH
Dia 28 /nov - Às 9 horas
______________________________________________
Casa do Jornalista
Av. Alvares Cabral, 400 - Centro - BH
Dia 28/nov - Às 19 horas
_____________________________________________
PUC - MINAS
(Sala de Multimídia - Prédio 14) 
Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - BH
Dia 29/nov - Às 14 horas
______________________________________________
UFMG 
(Arena FAFICH)
Av. Pres. Antônio Carlos, 6627 - Pampulha - BH 
Dia 29/nov - Às 19 horas
______________________________________________
Promoção:
A Nova Democracia
ABRAPO (Associação Brasileira dos Advogados do Povo)
MEPR (Movimento Estudantil Popular Revolucionário)
Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

GUERRILHA – EXPERIMENTO PARA TEMPOS SOMBRIOS

Imagem e texto/Fonte: https://www.facebook.com/events/1531184223631489/

Fechamos os trabalhos em 2017 com nova temporada do espetáculo “GUERRILHA – experimento para tempos sombrios”, que traz, de forma não linear e tampouco cronológica, memórias de mulheres que lutaram contra as ditaduras civis-militares na América Latina, nos anos 60, 70 e 80. Dessa vez, a temporada acontece no Galpão Cine Horto, espaço cultural, centro de memória, cinema, teatro... Espaço que traz consigo memórias de resistências em arte na cidade.

Belo Horizonte – Minas Gerais – Brasil – América Latina

Nessa virada de 2016 para 2017 quase chegando em 2018, por entre golpes, impeachment’s, PECs, escolas sem partido, retrocessos. Vivemos em tempos sombrios e, em tempos como esses, resistir é o que nos resta, nos mobiliza. Não seria diferente para nós. Cada temporada, cada ocupação é um exercício da arte mas também um estado da arte mesma em guerra contra o Estado, contra o Golpe, contra o genocídio, mas acima de tudo, a favor da nossa liberdade e bem viver. Uma estratégia de lembrar aos responsáveis que NÃO ESQUECEREMOS.

O Brasil continua sendo o país que mais mata... um dos piores para se nascer ... onde quatro entre cinco... de genocídio nas... Hora de armar o bote e avançar.

GUERRILHEIRAS DA AMÉRICA, UNIVOS!
----
SERVIÇO:
GUERRILHA – experimento para tempos sombrios
Data: 24, 25 e 26 de Novembro
Horário: 20 horas (sexta e sábado) 19 horas (domingo)
Ingressos: R$20 (inteira) R$10 (meia-entrada)/ à venda também no Sympla
Local: Galpão Cine Horto (Rua Pitangui, 3613, Horto, Belo Horizonte).
Apoio: Galpão Cine Horto
Parceria: Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania
----
FICHA TÉCNICA:
ATUAÇÃO E DRAMATURGIA: Idylla Silmarovi
DIREÇÃO: Raquel Castro
DIREÇÃO MUSICAL: Claudia Manzo
PREPARAÇÃO CORPORAL: Thales Brener Ventura
ORIENTAÇÃO DE PESQUISA HISTÓRICA: Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania
ILUMINAÇÃO: AKNER GUSTAVSON
EDIÇÃO DE TRILHA SONORA: Ronny Stevens
PRODUÇÃO: João Maria Kaisen
PRODUÇÃO EXECUTIVA: Fernanda Rodrigues e Fabrício Trindade
IDENTIDADE VISUAL: Lucas Pradino

EVOÉ!

terça-feira, 31 de outubro de 2017

6º SOM UNDERGROUND NO ESPAÇO ALTERNATIVO CENTO & DEZ

Imagem: Apresentação da banda Punk Razão Social - BH/MG, com participações de integrantes das bandas Rebeldia Incontida - Sto. André/SP e Final Trágico - Ouro Preto/MG. 
6º SOM UNDERGROUND
       Realizado, no dia 28/10/2017, o 6º Som Underground no Espaço Alternativo Cento & Dez.  O espaço fica na Rua Colorado, nº 110, no Bairro Nova Vista – zona leste de Belo Horizonte na divisa com Sabará/MG.
       A entrada foi gratuita. Contou com a exposição Estética da Existência, de Rofe Nosbor, e com apresentação das bandas:
Auto Gestão – BH/MG;
Final Trágico de um início decadente – Ouro Preto/MG;
Rebeldia Incontida – Santo André/SP;
Razão Social – BH/MG;
Drástico – BH/MG.
       Foram lembrados os mais de 40 anos do surgimento do Punk rock. Houve intervenções poéticas de protesto no microfone durante a apresentação das bandas. Foram feitas várias manifestações de luta anticapitalista e antifascista: nazistas e fascistas, Não Passarão!
       O 6º Som Underground foi completamente independente com relação às iniciativas e aos espaços comerciais/empresariais, estatais e governamentais. Valorize e divulgue! Todo nosso apoio ao Espaço Alternativo Cento & Dez.
Belo Horizonte, 31 de outubro de 2017 
Notícia/Fotos: Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania
Imagem: Auto Gestão - BH/MG. 
Imagem: Final Trágico de um início decadente - Ouro Preto/MG. 
Imagem: Rebeldia Incontida - Santo André/SP. 
Imagem: Razão Social - BH/MG.
Imagem: Drástico - BH/MG. 

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

DOCUMENTO DO FÓRUM MINEIRO DE SAÚDE MENTAL E DEMAIS ENTIDADES SOBRE A TRAGÉDIA DE JANAÚBA

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=745279279006488&id=229120503955704&pnref=story

HUMANO, DEMASIADO HUMANO: NOTAS DE ALERTA SOBRE A TRAGÉDIA DE JANAÚBA
O Fórum Mineiro de Saúde Mental e as demais entidades que assinam este documento manifestam seu profundo pesar sobre o trágico acontecimento ocorrido em Janaúba (MG) e prestam toda solidariedade e reconhecimento à sua população que soube se organizar com dignidade e respeito, e a todos envolvidos, em especial aos que sofreram as consequências diretas.
É de conhecimento de todos a notícia veiculada de que Damião Soares dos Santos, que trabalhava como vigia da creche, ateou fogo em si e nas crianças do local, levando a 11 óbitos e dezenas de feridos. As regras do jogo impostas pela sociedade através do judiciário e da própria psiquiatria, já determinariam um futuro previsível e nefasto a ele caso sobrevivesse e tivesse ou não definido um diagnóstico de transtorno mental. Apesar disso, não será aqui que entraremos na árdua discussão quanto ao estado mental de Damião quando executou tal ato.
No entanto, surpreendeu-nos a rapidez e o oportunismo apresentado por profissionais e até mesmo autoridades públicas em responsabilizar a Política Nacional de Saúde Mental pelo ocorrido, além de comentários com críticas sobre pessoas em sofrimento mental, sua alegada periculosidade, e sobre o próprio funcionamento da rede de assistência em saúde mental do município e região.
As notícias falsas e precipitadas prestam um desserviço: acabam por induzir o surgimento das velhas formas de preconceito em relação ao chamado louco que tanto lutamos para desconstruir, e levam a opinião pública a acreditar e demandar formas de “tratamento” baseadas em exclusão e confinamento, tão violentas quanto o triste e lamentável episódio ocorrido.
Devemo-nos lembrar que num passado não tão distante, centenas de milhares de brasileiros perderam a vida trancafiados em hospitais psiquiátricos, espaços construídos e eleitos pela sociedade para excluir e segregar pessoas tidas como perigosas, incapazes e improdutivas.
Mas as organizações civis da luta antimanicomial souberam se contrapor a essa triste realidade. Uma rede pública substitutiva diversa, ampla e potente foi criada em consonância aos direitos garantidos por leis, ao cuidado em liberdade e com inserção familiar e comunitária, surgindo então a Política Nacional de Saúde Mental e sua rede de atenção psicossocial, exemplo e referência em todo o mundo.
Se essa rede apresenta atualmente dificuldades, as devemos, em especial, ao lamentável momento político que vivemos. O desmonte que vem ocorrendo com o SUS, promovido pelo governo federal, obviamente nos atinge.
Portanto, afirmamos: não em nome da tragédia de Janaúba! Não autorizaremos a crença de que a violência se deva a uma morbidade psíquica específica e a seu necessário enclausuramento. Na história da humanidade nunca foi possível prever acontecimentos desse tipo. A sociedade contemporânea vivencia diversas formas de violência cuja imensa maioria não são motivadas por transtornos mentais. Acreditamos que, conforme Basaglia, "o sofrimento humano é algo que não se pode eliminar. Está na vida, está no homem, é uma condição humana". Assim, apostamos no cuidado em liberdade como principal estratégia de tratamento na assistência em saúde mental. Não aceitaremos quaisquer retrocessos na política de saúde mental brasileira.
Seguiremos nossa luta por uma sociedade sem manicômios.
Minas Gerais,19 de Outubro de 2017
Assinam o documento:
Fórum Mineiro de Saúde Mental
Associação de Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Minas Gerais - ASUSSAM
Associação de Usuários e Familiares de Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Alagoas – ASSUMA/AL
Associação de Trabalho e Produção Solidária – SURICATO
Associação Loucos Por Você – Ipatinga/MG
Associação de Moradias Populares/MG
Associação Paulista de Saúde Pública/SP
Associação Arte e Loucura Nau da Liberdade/RS
Acolher – Associação de Usuários, Familiares e Amigos da RAPS de Ouro Preto/MG
Brigadas Populares/MG
Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais
Comissão Estadual de Reforma Psiquiátrica/MG
Comissão Municipal de Reforma Psiquiátrica/BH
Conselho Municipal de Saúde de Belo Horizonte - CMS-BH
Conselho Federal de Psicologia – CFP
Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais
Conselho Regional de Psicologia de São Paulo
Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais
Conselho Regional de Serviço Social de Minas Gerais
Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais
Conselho Regional de Fonoaudiologia 6ª Região
CEBES – Centro Brasileiro de Estudos de Saúde
Coletivo Pernambucano de Residentes em Saúde Mental
Coletivo Craco Resiste/SP
Coletivo Saci/SP
Central dos Movimentos Populares
Frente Mineira Drogas e Direitos Humanos
Fórum Gaúcho de Saúde Mental
Fórum Cearense da Luta Antimanicomial
Frente Estadual Antimanicomial de São Paulo
Federação Nacional dos Psicólogos – FENAPSI
Grupo InterVires de Pesquisa-Intervenção em Saúde Mental, Políticas Públicas e Cuidado em Rede/UFRGS
Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania/BH
Instituto Gregorio Baremblitt/MG
Instituto Brasileiro de Psicanálise, Dinâmica de Grupo e Psicodrama – SOBRAP/Juiz de Fora-MG
Instituto Sílvia Lane/SP
Libertando Subjetividades/PE
Liga de Saúde Coletiva/UFMG
Movimento Nacional de Direitos Humanos
Núcleo Antimanicomial do Pará
Núcleo de Estudos pela Superação dos Manicômios – NESM/BA
Núcleo de Psicologia sobre Educação, Paz, Saúde, Subjetividade e Trabalho (UEMG)
ONG Sã Consciência
Observatório de Políticas e Cuidado em Saúde/UFMG
Programa de Pós Graduação em Psicologia Social e Institucional da UFRGS
Programa Desmedida – Direitos Humanos e Saúde Mental/RS
RENILA – Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial
Setorial Estadual de Saúde do PT/MG
Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais - SINFARMIG
Sindicato das/os Psicólogas/os de Minas Gerais – PSIND-MG
Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais de Minas Gerais
Sindicato dos Economistas de Minas Gerais
Sindicato dos Psicólogos de São Paulo
Sind-Saúde
http://forumsaudemental.blogspot.com.br/2017/10/humano-demasiado-humano-notas-de-alerta.html


domingo, 15 de outubro de 2017

NOTÍCIA DO ANIVERSÁRIO DA OCUPAÇÃO HELENA GRECO 2017


6 ANOS DA OCUPAÇÃO HELENA GRECO!
        Realizado, no dia 14/10/2017, na esquina da Rua da Resistência com Rua Leila Diniz, no Bairro Zilah Spósito/BH, o Aniversário da Ocupação Helena Greco. Houve a comemoração do dia das crianças.
        Houve rua de lazer, distribuição de kits de brinquedos, cachorro quente e refrigerante grátis para a criançada.
        O Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania esteve presente e prestou apoio com a divulgação, convocação, diagramação de cartazes/panfletos e contribuição financeira. Houve também o apoio de Gonzaguinha do Sindeletro/MG, de Geraldinho do Bairro Cabana, de vizinhos da ocupação e de pequenos comerciantes moradores da região.
        A organização e mobilização foram iniciativa da coordenação da Ocupação Helena Greco. A coordenação é formada exclusivamente por moradoras. Foi solicitado que pessoas de outras localidades levassem alimentos não perecíveis.
        A Ocupação Helena Greco surgiu em junho de 2011. No mês de julho do mesmo ano aconteceu uma violenta invasão da Polícia Militar a qual destruiu casas e agrediu mulheres e crianças com spray de pimenta expulsando os(as) moradores(as). Em outubro de 2011, a Ocupação Helena Greco retornou. Durante o processo de ocupação destacou-se a combatividade de Ivaldi José Rodrigues, o “Indio” – companheiro de luta por moradia de D. Helena Greco, durante as décadas de 1980 e 90.
        O Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania sempre esteve presente e presta apoio e solidariedade desde o início, em 2011, de forma incondicional. Foi também grande incentivador e participante do Fórum Permanente de Solidariedade às Ocupações - instrumento de luta do qual participavam várias entidades, movimentos, apoiadores(as) e moradores(as) de todas as ocupações de Belo Horizonte.
        A Ocupação Helena Greco continua a necessitar de doações, solidariedade, apoio e divulgação:
- Mantimentos em geral/Leite em caixa/Cestas básicas.
- Acessórios para bebês/fraldas.
- Materiais de limpeza e organização.
- Materiais de higiene, cuidados diários, cosméticos e perfumaria.
- Ferramentas, materiais de utilidade doméstica, acessórios de cozinha, escritório e informática.
- Malas, mochilas e bolsas.
- Kit de primeiros socorros.
- Roupas e calçados.
- Colchões, roupas de cama, mesa e banho.
- Brinquedos.
- Materiais de construção.
- Móveis em geral, eletrodomésticos e eletroportáveis em estado para uso.
- Materiais de esporte e lazer.
- Livros, revistas, material didático e material escolar.
- Contribuição em dinheiro ou depósito (qualquer quantia).
Para fazer doações, informações e agendamento de visistas:
        Entrar em contato com a Coordenação da Ocupação Helena Greco através do Celular/WhatsApp: (31) 9 9516 – 7464 ou com o Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania: (31) 2535 – 4667.
OCUPAÇÃO HELENA GRECO
Bairro Zilah Spósito – Belo Horizonte/MG:
Comunidade de luta! Existe e resiste desde 2011!
Belo Horizonte, 15 de outubro de 2017
Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania